sexta-feira, 25 de março de 2016

Austeridade e amor próprio

Nenhum tipo de austeridade é positiva, nem a que você faz aos outros, e nem a que faz a si mesmo. Nada que esteja tenso faz parte do fluxo, pelo contrário, tensão é o mesmo que anti-fluxo, por isso, nenhum tipo de extremo o conduzirá para o resultado que espera. Tentar buscar equilíbrio entre o seu lado luz e o seu lado sombra não é o caminho. Para equilibrar qualquer coisa que seja é necessário tensionar para um dos lados, e isso requer esforço, muita atenção e muita tensão, ou seja, no primeiro descuido a corda se romperá.

A verdadeira busca de quem está no caminho do autoconhecimento deve ser a harmonia, o caminho do meio, a integração harmoniosa de todos os aspectos que compõe o seu ser, e isso só é possível através do não julgamento, da aceitação e do amor próprio.

Renegar as coisas do mundo pelo fato de estar num caminho espiritual é um erro. Deixar de freqüentar ambientes porque acha não ser apropriado energeticamente para você é uma fuga. Crer que dinheiro e bens materiais não são coisas divinas é uma tremenda ilusão, pois toda energia é neutra e quem a direciona para o bem ou para o mal é aquele que está em poder dela.

Lembre-se que você está no mundo, portanto, nada mais natural que você usufrua das coisas que ele tem a oferecer. Desde que você as use, não permitindo que elas passem a usar você, a sua vida e a sua experiência neste mundo terão sido engrandecedoras.

Portanto, olhe para o céu e não se esqueça que você é um espírito tendo uma experiência na matéria. Mas, igualmente, lembre-se que
neste momento você está como humano e, por isso, deve aproveitar essa experiência em sua plenitude.

Diogo Beltrame. 

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde.
    Minha dúvida é: Os Avatares eram desapegados do materialismo, já que o que se percebe, gera desigualdade de renda, sentimento de propriedade(como por exemplo comprar uma casa ou carro), enfim, gera o ter. Na busca espiritual minha percepção é que o material é fútil. O material não emana amor. Então porque considerar o dinheiro e bens como coisas divinas, ainda que não sejam usados para o mal. Aliás, o que seria bem e mal, bom oi ruim, certo ou errado, bonito ou feio? Finalizando, em minha busca espiritual, percebo que Deus é amor é o amor é Deus. Material e dinheiro, aparentemente não gera o amor divino e absoluto.
    Desejo-lhe luz!
    Gratidão.
    Cláudia Agarie.

    ResponderExcluir